16 de fev de 2017

The Real American Bully - The Real Deal.

Vamos falar um pouco sobre American Bully. Até pouco tempo, quando não existiam exposições de beleza da raça por aqui, não se atentava tanto para o padrão. Muitos criavam focando apenas no conceito, sem levar muito a risca o que dizia o padrão; outros apenas focavam nos cães que mais impressionavam. Agora, que as exposições estão ganhando espaço, é que se começou a ver as coisas com outros olhos. As pessoas estão começando a valorizar características que antes não davam tanta importância nos cães. A fixação do tipo será inevitável! A gente vai amadurecendo ao longo da criação. Existem as exceções. Alguns criam há anos, mas não amadurecem e nem evoluem. Muito tempo e dinheiro são perdidos porque não conseguem alcançar bons resultados. 
Nós que estamos há algum tempo envolvidos com a raça American Bully estamos carecas de saber qual é o real conceito dela. Aí eu lhes pergunto: qual das entidades hoje existentes e atuantes defendem tal conceito? Das que tenho conhecimento a IBC e a ABKC. No que elas se baseiam para isso? Qual é o critério que elas utilizam para classificar o indivíduo como um American Bully? Bom, para isso foi criado um padrão baseado no conceito. Ou seja, o animal deverá possuir um fenótipo específico para se enquadrar em tal padrão a fim de ser clasificado como um American Bully. Basta isso? Não! Também deve possuir um genótipo com antecedentes de mesma raça! Muito se desconfia das entidades e com razão. Porque? Porque o controle dos registros não é rigoroso. Elas visam muita grana! Áh...então se fosse rigoroso não existiriam pedigrees forjados? Não! Sabe porque? Porque o ser humano sempre procura um meio de burlar o sistema. Isso não acontece somente no Brasil! Acontece em qualquer país, porém existem nações onde essa prática é mais frequente como é o nosso caso. Aí o cara pergunta: ihhh...será que o pedigree do meu cão foi forjado? Aí meu amigo cabe a você saber a procedência do animal e escolher o criador para adquirir seu cão. O que resta a ser feito então? Resta seguir sua criação controlando a ascendência das suas ninhadas com seriedade. O registro da árvore genealógica dos seus cães é de sua responsabilidade. É você que irá mandar os dados para registrar seus cães. Seja diretamente ou com a ajuda de um despachante. Ai meu Deus! Então em qual entidade irei registrar meus cães? Nós optamos pela ABKC. Porque? Porque é a pioneira, é rápida, é a que tem ideais comuns aos nossos no que se diz respeito ao conceito da raça. Sempre fizemos os registros diretamente, sem despachantes e nunca tivemos problemas. Áh...mas a ABKC aceitou um bando de papel forjado nesses últimos anos. Sim, o sistema de registro deles e de outras é passível de fraude. E eu te pergunto: a culpa foi só da ABKC? Quem mandou formulários e cia forjados não tem culpa? De repente até não porque pode ter comprado de alguém que forjou. Foi por isso que entrei em contato com o Dave Wilson e comuniquei esses problemas. Ele então me disse que iria procurar um meio de aumentar o controle dos registros e cancelar os comprovadamente forjados (é possível comprovar a falsidade de alguns). Áhhh...mas ele realmente vai dar jeito nisso Rhona? Não sei...essa batata quente é dele! Enquanto isso seguiremos registrando os cães na ABKC e aqui no Brasil talvez na IBC.  

Ok...dito isso vamos para um próximo tópico: o surgimento de outras entidades e a realização de fun shows e exposições no Brasil. O "Fun Show" tem como objetivo reunir os criadores e admiradores da raça numa confraternização entre pessoas e cães. Já a exposição visa o julgamento de cães se baseando no padrão. A pioneira ABKC tem histórico de não dar importância, suporte aos outros países quando era soberana há alguns anos. De uns tempos pra cá, quando surgiram inumeras entidades mundo a fora, é que aumentou o interesse da ABKC em migrar para fora dos Estados Unidos. Acredito que a popularização da raça pelo mundo também contribuiu pra isso. Vários shows vêm acontecendo pelo mundo. O Brasil, claro, entrou na rota. Ih Rhona...mas será que entrou mesmo, eles irão promover shows por aqui mesmo? Não sei. Disseram que sim. Vamos aguardar. Muito se diz que, enquanto a ABKC não chega, as entidades A e B vem fazendo muito pelo American Bully no Brasil. O que é fazer muito pela raça? Pressupõe-se que seja fazer a inscrição de vários cães "registrados sem falcatruas" de diversos fenótipos, avaliá-los e daí eleger os que mais se encaixam no padrão. Se for isso, "caso sigam o padrão correto", com certeza estão sim contribuindo com a raça tendo em vista que, dessa forma, separam os american bully dos pretendentes a american bully. A IBC tomou a iniciativa de separar os Exotic Bullies dos American Bully. Já é um começo para separar o que é American Bully do que não é. Eu ainda penso que a divisão pode ser da seguinte forma: Bully Type, Exotic Bully e American Bully. Nos "Bully Type" entrariam os produtos de cruzas entre outras raças que visam obter indivíduos com aparência BULLY assim como seus descendentes, nos "Exotics" ficariam os cães que vieram registrados e oriundos dos Estados Unidos com fenótipo exótico e seus descendentes diretos e nos American Bully ficariam os cães originários dos Estados Unidos devidamente registrados, dentro do padrão e seus descendentes diretos. Digo originários dos Estados Unidos porque o animal pode ter sido vendido para Porto Rico por exemplo e ter vindo pra cá, porém a origem é dos EUA. Áhhh mas qual vai ser o critério para separar esses cães? Um filho de Exotic com American Bully vai ser classificado como o que? Acredito eu que um cão produto de uma cruza dessa poderá se enquadrar como American Bully ou Exotic a depender do fenótipo que ele vai apresentar. Não vai ter saída. Essa avaliação vai ser problema das entidades. Elas terão que definir como serão feitas essas avaliações. Áh...mas o meu cão é descendente de american bully e não se enquadra no padrão...ele deixou de ser american bully? Não, como ocorre em todas as raças, ele será um cão da raça porém fora do padrão ou com faltas. Teoricamente não deverá reproduzir para evitar a perpetuação de mais cães fora do padrão como ele. Áhh...mas lá fora os gringos fazem um monte de misturas, falsificam pedigrees e dizem que os cães são American Bully e ou Exotic Bully. Tanto na gringa quanto aqui funciona da mesma forma. Tem um monte de gente que visa somente o mercado ou às vezes até mesmo é desinformada ou oportunista querendo cortar caminho, tentando usar uma receita mágica para tentar produzir ou como eles falam "tirar" um American Bully. Tem outros também que fazem isso para teste, como desafio mesmo. Áhh...mas eu usei a poção mágica e tirei cães mais BULLY que muitos American Bully. Desculpe amigo, isso chama-se coincidência. Assim como você pode cruzar um mastiff inglês com um bulldog inglês e sair um cão com fenótipo muito parecido com o de um Bull Mastiff. Por ter um fenótipo bem semelhante ao de um Bull Mastiff esse cão é um Bull Matiff? Não! Não é! Áhh...então o que meu cão é...no que ele se enquadra? Ele é um Bully Type! Áhh Rhona você é contra isso? Não, desde que não forjem pedigree, que não omitam a ascendência, acho válida a experiência enquanto laboratório para um criador desmistificar e sanar suas dúvidas. Existem alguns criadores adeptos dessa prática. Criar cães é uma atividade árdua! Por isso respeito e reconheço o mérito de alguns enquanto criadores de CÃES, não de American Bullies! Isso tanto no Brasil quanto em qualquer outro país. Muitos deles pensam que criam American Bully, enquanto que na realidade não o fazem. Outros sabem o que estão fazendo, tem ciência de que não criam American Bully, registram corretamente todas as gerações do trabalho, mas acabam denominando seus produtos com o nome "American Bully". Esses são grandes criadores de "Bully Type". Digo grandes pela longa experiência que possuem, por terem sustentado os registros verdadeiros do seu plano de cria e por terem obtido os resultados que almejaram. Quero deixar claro que não tenho nada pessoal contra ninguém do MUNDO BULLY. Sei que esse texto poderá chatear muitas pessoas porém é uma opinião. Será muito contestada por alguns e elogiada por outros como acontece desde 2008 quando criei o BULLYNESCO (blog). 
E para finalizar eu deixarei aqui duas perguntas:
1) O que você vai criar: American Bully, Exotic Bully ou Bully Type?
2) O que você está criando no seu quintal?
Abraço, Rhona Lewis.